Consolidação: A arte de firmar os passos.


“Portanto IDE, FAZEI DISCÍPULOS de todas as nações,
BATIZANDO-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo,
ENSINANDO-os a observar todas as coisas que eu vos tenho
mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a
consumação dos séculos”.
(Mateus 28:19 e 20)


Para começarmos a falar de Consolidação, vamos falar sobre as quatro ordens que Deus nos deu nos versículos acima:

1. IR – Ir significa sair da posição em que estamos rumo ao cumprimento do nosso chamado para o Reino. Somos chamados para frutificar, para dar frutos que permaneçam. Ir é da vazão ao chamado de Deus sobre as nossas vidas, é anunciar o Evangelho de Cristo a toda criatura.

“Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e
vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto
permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes
ao Pai ele vô-lo conceda”. (João 15:16

2. Fazer discípulos – É a sequência das ordens de Jesus aos seus Doze. Só podemos fazer discípulos quando a saímos da nossa posição de conforto e nos dispusermos a fazer a vontade do Pai. Fazer discípulos fala de ensinar o caminho, caminhar juntos, pois nenhum processo de discipulado é feito sem relacionamento. É, na prática, o primeiro passo da Consolidação.

“Então veio Amaleque e pelejou contra Israel em Refidim. Pelo
que Moisés disse a Josué: Escolhe –nos homens, e sai, e peleja
contra Amaleque; amanhã eu estarei no cume do outeiro e a vara
Deus estará na minha mão. E Josué fez como Moisés lhe dissera,
pelejando contra Amaleque, mas Moisés, Arão e Hur subiram
ao cume do outeiro.” (Êxodo 17: 8 – 10).

“ E acontecia que quando Moisés levantava a sua mão, Israel
prevalecia; mas quando ele abaixava a sua mão, Amaleque
prevalecia.” (Êxodo 17:11)

3. Batizar os discípulos – O batismo fala de arrependimento, de reconciliação. É, também, uma seguência do IR. Quando tivermos ido e feito discípulos, certamente, nossos discípulos se arrependerão do tempo em que estiveram enganados e serão batizados.

4. Ensinar os discípulos – Ensinar fala de caminhada com Deus. A sequência descrita em Mateus mostra que há uma escada a ser vencida em nossa caminhada para fazer discípulos e produzir frutos que permaneçam. IR, FAZER, BATIZAR e ENSINAR. Ensinar fala de aprendizado, pois
ninguém pode ensinar aquilo que ele mesmo ainda não aprendeu.

O QUE É CONSOLIDAÇÃO?

Literalmente, consolidação significa sustentar, firmar, tornar sólido, fortalecer, transformar.

Na Visão Celular no Modelo dos Doze, é o segundo degrau da Escada do Sucesso que consiste no processo de cuidar do novo crente, levando-o a firmar seus passos na fé e confirmar a
sua decisão por Cristo.

Esse processo é lento e demorado, portanto, deve ser feito com calma e cautela. A consolidação precisa ser tratada com carinho pela igreja local, pois se não for eficaz, a igreja acaba sofrendo com o antigo “entre e sai” dos membros/ discípulos.

Sem consolidação a igreja não cresce, ela incha por um período para se esvaziar logo depois, forma crentes sem base bíblica e sem convicção de sua fé que, quando vier o vento, perdem a fé a ousadia cristã.

Temos visto muitas igrejas sofrendo com o esvaziamento porque não consolidam os seus novos crentes, não levando a sério a grande batalha espiritual que o novo convertido sofre quando se decide por Cristo. Por isso, urge que nos conscientizemos da importância de consolidarmos os novos de forma eficiente e eficaz, para que alcancemos uma multiplicação de excelência.


OBJETIVOS DA CONSOLIDAÇÃO

Antes de iniciarmos a consolidação na prática, precisamos ver que ela tem objetivos bem definidos que norteiam a sua execução, justificando seus resultados tão expressivos, a saber:

1. Dar ao recém- convertido um cuidado especial para que se torne um discípulo capaz de andar com as próprias pernas. Teoricamente, a consolidação termina quando o novo entra na Escola de Líderes e inicia no discipulado.

2. Ajudar o novo convertido a reproduzir em sua vida o caráter de Cristo. Isso acontece com a ajuda especial do caráter do discipulador, que precisa ser tratado, refletindo o de Cristo, pois esse novo discípulo se espelhará no seu discipulador para aprender com ele.

Por essa razão, o Apóstolo Paulo disse em sua primeira carta à Igreja de Corinto, no capítulo 11, versículo 1:

“Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.”

3. Fazer do novo-convertido um discípulo e um líder: Quando iniciamos um processo de consolidação, temos em mente o crescimento e o desenvolvimento do nosso consolidando. Para que isso aconteça, precisamos dar subsídios ao crescimento dele através de estudos, leitura de livros evangélicos e um relacionamento estreito, motivando-o à oração, a prática do culto e a busca pessoal
pelo seu desenvolvimento. À medida que nos relacionamos com nosso discípulo / consolidando ele verá
refletido em nosso dia –a – dia o caráter de Cristo e sentir- se-á motivado a crescer em graça e conhecimento.

4. Ensinar ao novo convertido os primeiros passos da fé cristã, motivando-o à leitura bíblica e a uma vida de oração, santidade e busca por Deus.

COMO CONSOLIDAR

O início da Consolidação requer um preparo intenso. É necessário estudar bastante a respeito, ler livros sobre o assunto, estudar bastante a Palavra de Deus e buscar muito a orientação de Deus em tudo o que fizermos. Se o Espírito estiver conosco, teremos bom êxito em nossa consolidação.

Alguns requisitos se fazem necessários na vida consolidar para que ele consolide com Excelência:

Santidade –

Ser santo diz respeito a ser separado do pecado. O homem santo é aquele que não está isento de pecar, mas aquele que luta para não fazê-lo. É aquele que assume a responsabilidade de andar com Deus, pois não Ele não nos usará enquanto a nossa vida não estiver regida pelos seus princípios.

Em Hebreus 12:14 está escrito:

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém
verá o Senhor”


  • Outras referências bíblicas: II Pedro 1:14 a 16; Oseias10:12; Lv 11:44 – 45; Romanos 12: 1; Efésios 1:4; Gálatas 5:22 – 23.


Vida de Oração – .

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e
no partir do pão, e nas orações”. (Atos 2: 42)

Levar uma vida de oração é viver em comunhão com Deus, uma vida de busca intensa pela presença do Espírito Santo. A oração é uma arma poderosa que Deus deu aos crentes, é uma de crescimento e de multiplicação.


Ser consolidado –

Essa é uma necessidade urgente nos dias atuais. Infelizmente, temos visto muitos consolidadores
enfraquecendo na fé porque não estão preparados para consolidar. Uma pessoa que não está consolidada não pode consolidar porque pode acabar caindo nos mesmos que erros que o consolidando, além de deixar brechas para a atuação do diabo. É necessário que o consolidador seja convicto de sua fé em Cristo Jesus, a fim de contra-argumentar quando o inimigo
de nossas almas o quiser confundir.

O PROCESSO DA CONSOLIDAÇÃO

Na prática, a consolidação se inicia na Igreja, no ato da rendição do novo convertido aos pés de Jesus Cristo. Quando uma pessoa se entrega a Cristo, o Consolidador deve estar de prontidão para antendê-lo, levando-o até o altar.

Na verdade, o primeiro consolidador é o pastor ou ministro do culto. Aqui vale destacar que não é a palavra do pastor ou ministro que leva ao arrependimento, mas sim a ação de convencimento do Espírito Santo no coração do homem.

Depois da entrega, o novo convertido deverá ser encaminhado à Sala de Consolidação, onde o consolidador, deverá reconfirmar a decisão do novo convertido, buscando sondar se a pessoa está certa do que está fazendo. É importante que o Consolidador seja sábio quando perceber que a pessoa
ainda está em dúvida. Nesse caso, deve encorajá-lo a continuar.

Na sala de consolidação, o consolidador deverá seguir os seguintes passos:

1. Apresentação pessoal

Se o consolidador ainda não é uma pessoa do círculo de amizade do consolidando, deve-se se apresentar, dizendo seu nome, de forma amávele espontânea.

Nessa etapa, o consolidador deve dar importância à memorização do nome do consolidando. Decorar o nome do consolidando é importante porque mostra que você se preocupa com ele e que ele é uma pessoa importante para você. Lembre-se de que o nosso nome é nossa identidade, é o que nos representa. Esquecer o nome de alguém equivale a esquecer de quem é a pessoa, desmerecê-la, pois vale lembrar que, nesse momento, o diabo usará de todas as estratégias para desestimular e tirar a visão de Cristo do coração do novo convertido. Esse momento inicial da consolidação deve o tempo
todo servir de base para a construção do relacionamento interpessoal, tão necessário na consolidação e no discipulado.

2. Quebrar o gelo

Essa etapa é de fundamental importância, pois o desenvolvimento do relacionamento começa aqui. É necessário que o discipulador se mostre amável, confiável e amigo do consolidando. Pergunte-o o que ele achou do culto, o que achou da igreja etc., e não se esqueça de mostrar a ele que você tem muito conteúdo a passar para ele, que as conversas serão amigáveis e de muito proveito.


3. Preenchimento da ficha
Durante o preenchimento da ficha abaixa, pode –se oferecer um suco com biscoito, uma água etc., afim de gerar um relacionamento. Certifique-se de preencher todos os campos da ficha com letra legível para facilitar a busca e a compreensão.

A ficha deverá ser preenchia em três vias: uma para o consolidador, outra para o Líder da Consolidação e outra para o consolidando.

Aproveite esse momento para dizer ao seu consolidando que entrará em contato com ele durante a semana para saber como ele está.



4. Momento da oração

É a etapa final do início da consolidação na sala de consolidação. É importante segurar nas mãos do consolidando e orar com ele. Coloque-se diante de Deus como Seu filho e intercessor pela vida que está com você. Ore para necessidade que o consolidando colocou na ficha e peça a Deus para abençoá-lo em todas as áreas.

É importante não ser prolixo, isto é, fazer uma oração demorada. Lembre-se que o consolidando já participou do culto e está cansado. Ore brevemente, mas procure a orientação do Espírito Santo para alcançar o coração do recém adentrado á fé cristã.

Pro fim, pergunte se há algo que o consolidando queira saber alguma dúvida etc., e coloque-se à disposição dele para ouvi-lo, conversar e, também, se divertirem.

Obs.: Tenho ouvido relatos de que algumas pessoas têm dificuldades para estabelecer um relacionamento eficaz com o consolidando porque não sabem conquistá-lo. Aprenda a brincar,
a se divertir, de forma sadia, mostrando ao novo convertido que o
Evangelho está apresentando a ele um novo estilo de vida, uma vida sadia, agradável e que vale a pena ser vivida. Cuide-se de virar amigo do seu consolidando e você verá como a consolidação será agradável e frutífera.

Mas atenção!!! Ser amigo do consolidando não é mesmo que participar com ele dos seus erros, antes é corrigi-los com amor e atenção, mostrando-os, quando necessário, sendo sempre
verdadeiro na colocação do evangelho.



FONOVISITA

A fonovisita é uma visita pelo telefone. É uma etapa importante porque mostra ao consolidando que você se importa com ele e que não o esqueceu.

Para fazer a fonovisita

1. Ore - Antes de ligar para o consolidando, entre em oração ao Pai. Peça a Deus para lhe dar as palavras certas, calma e que o oriente em tudo.

2. Fale pausada e amigavelmente, certificando-se de que está sendo compreendido. Mostre carinho e respeito pelo seu interlocutor. Busque gerar um relacionamento de amizade e confiança.

3. Não demore muito ao telefone. Lembre-se: a objetividade favorece o aprendizado e poupa o tempo do consolidando. Evite irritá-lo, falando de mais.

4. Não ligue em horários inoportunos. Procure ligar no horário estabelecido na ficha de consolidação.

5. Marque um dia e um horário para se encontrarem e avise que você não irá sozinho. Leve sempre com você outra pessoa já consolidada.



A VISITA

A visita à casa do consolidando é outro passo muito importante no processo de consolidação, pois, se nesse momento, houver rupturas ou desentendimentos, todo o processo de consolidação pode estar prejudicado.

Ela deve acontecer uma ÚNICA vez durante a semana e não deve passar de uma hora. O consolidador deve se planejar bem, para que tenha tempo para ouvir o que o consolidando tem a dizer e, ainda, ministrar de forma clara e precisa a primeira lição de consolidação.

Essa visita estará acontecendo durante essas semanas. Em cada semana você deve ministrar uma palavra de vida ao consolidando, por isso é importante que já haja um nível de relacionamento e confiança entre o Consolidador e o Consolidando.

COMO MINISTRAR AS LIÇÕES

Ao fazer a visita é necessário que se caia no erro de achar que se vai dar uma aula. O objetivo não é esse. A lição deve ser passada de forma informal, sem estresse e calmamente.

Obs.: Pode acontecer de certo dia o consolidado estar mais necessitado de conversar, falar dos seus problemas. Não o interrompa quando isso acontecer. Deixa que ele se expresse do jeito que lhe é comum. Cuidado com as “caras e bocas” e com gestos que podem indicar sentimentos de desprezo ou repugnação. Lembre-se que o Consolidando ainda está em processo de conversão.

Quando perceber que a pessoa a ser consolidada está precisando conversar, ouça-a atentamente e tente despertar o assunto da lição para a conversa.


Por: Professor Anderson Cruz - Equipe Edros
Bibliografia:
1.TERRA NOVA, Renê. Consolidaçao. 7ª Ed.
2. Bíblia de Estudo Pentecostal - 2005


uCompraruuuuCompraruuuuComprar
ooooo oooooooooooooooooooooooo ooo
Você gostou deste artigo? Compartilhe:

TwitterDeliciousFacebookDiggStumbleuponFavoritesMore

Reações:

3 comentários:

Alex Monteiro disse...

Anderson excelente!!!!

Segredos de Liderança disse...

Obrigado, Alex, por ter publicado em seu blog... Abraço....

Segredos de Liderança disse...

Conheça as novas postagens do blog SEGREDOS DE LIDERANÇA. www.servolider.blogspot.com

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Premium Wordpress Themes